Estudos

Você é um Ímpio?

“Ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça.” (Romanos 4:5).

Essa é a única maneira pela qual alguém pode alguma vez tornar-se justo; primeiro, admitir que seja ímpio; a seguir, crer que Deus justifica, ou conta o ímpio por justo, e então passa a ter posse da própria justiça de Deus. Todos no mundo são ímpios. “Ímpio” significa “diferente de Deus”. Está escrito: “Pois todos pecaram e carecem da glória [da bondade, do caráter] de Deus”. “Todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.” (Romanos 3:10 e 11). Sendo que Deus justifica o ímpio, isso da parte de Deus torna a justificação – justiça, salvação – plena, livre e garantida a toda alma sobre a Terra, e tudo quanto alguém precisa para tê-la garantida para si mesmo é aceitá-la – crer que Deus realmente justifica, pessoal e individualmente, aquele que é ímpio. O único requisito, a única preparação, para a justificação é que uma pessoa reconheça ser ímpia. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar-nos os nossos pecados e purificar-nos de toda injustiça” (I João 1:9).

Muitos creem que são ímpios e até o reconhecem, mas para eles crerem que Deus os justifica parece demais. A razão de sua descrença é simplesmente porque são tão ímpios. Assim, tentam consertar-se a fim de obterem a coragem de esperar que Deus os justifique. Essa falsa concepção é justificação pelas obras. Professando crer em “justificação pela fé” eles realmente estão confiando parcialmente em suas próprias obras. Se eu não sou ímpio, então eu não preciso ser tornado justo. “Esta é uma palavra fiel, digna de toda a aceitação; que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.” (I Timóteo 1:15). “Não vim para chamar os justos, e sim os pecadores, ao arrependimento.” (Lucas 5:32). A fé depende da palavra de Deus somente. Na medida em que há qualquer confiança no eu, na medida em que houver qualquer terreno concebível para esperança em algum aspecto de realização pessoal, não haverá fé, nem lugar para fé, uma vez que fé é total confiança “na palavra de Deus somente”. Quando toda esperança (no eu) se vai, então a fé entra em ação, e pela fé encontramos justificação plena e gratuita, não importa quão grandes ímpios sejamos!

CAINDO NAS MÃOS DE DEUS!

“Justificados, pois, mediante a fé, tenhamos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 5:1). Uma vez que fé é depender da palavra de Deus somente, no que a palavra diz, ser justificado pela fé é simplesmente ser contado como justo por depender de Deus somente; e somente dEle porque assim o prometeu. Somos inteiramente pecadores – pecadores e ímpios, sujeitos aos juízos de Deus (Romanos 3:9-19). O único modo de escapar do juízo de Deus é confiandoem Deus. Davideclarou: “Caiamos nas mãos do Senhor agora, porque muitas são as suas misericórdias.” (II Samuel 24:11-14).

“Aprouve a Deus que… havendo feito a paz pelo sangue da Sua cruz, por meio dele vos reconciliou no corpo da Sua carne, mediante a Sua morte… a vós outros que também outrora éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas, agora, porém, vos reconciliou no corpo da Sua carne, mediante a Sua morte, para apresentar-vos perante Ele santos, inculpáveis e irrepreensíveis, se é que permaneceis na FÉ.” (Colossenses 1:20-23).

A graça de Deus é oferecida livremente. Por que não deveria toda alma sobre a Terra ser assim justificada? Está você exercendo fé? Está você justificado pela fé? Tem você a justiça da fé? Tem você paz com Deus mediante nosso Senhor Jesus Cristo? “Tende fé em Deus” (Marcos 11:22).

Onde não existe a palavra de Deus não pode haver fé. Devemos orar segundo a palavra de Deus. Ele tem assim feito provisão para o crescimento firme, consistente e contínuo da fé mediante a oração segundo a Sua palavra. Sem dependência da palavra de Deus, tudo simplesmente morre. “O justo viverá pela fé” (Hebreus 10:38), e assim “tudo o que não provém da fé é pecado” (Romanos 14:23), o que implica dizer que o justo deve viver segundo a palavra de Deus; e o que quer que não proceda da palavra de Deus é pecado. “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” (Mateus 4:4).

Haverá justificação proferida pela palavra de Deus, de modo que as pessoas possam depender completamente dessa palavra, e que a justiça seja cumprida neles? “Deus propôs… manifestar a Sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos.” (Romanos 3:25). Portanto, quando o Senhor perdoa o pecado, Ele concede como uma dádiva a Sua própria justiça pelo pecado, “sobre todos os homens para a justiça que dá vida” (Romanos 5:18). Ele é fiel. Ele concede a Sua justiça pelo nosso pecado.

“Andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne” (Gálatas 5:16). Mediante a fé, estas são as paixões da carne a que não atentará e sobre as quais obterá completa vitória: “Prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas…” É a fiel palavra de Deus; Ele lhe dará a Sua justiça se você Lhe der esses seus pecados.

PEDIR!

Aceite a libertação que Cristo operou em seu favor. Permaneça firme na liberdade com a qual Cristo o fez livre. “Pedi, e dar-se-vos-á… pois todo o que pede recebe” (Lucas 11:9 e 10). “Recebei o Espírito Santo” (João 20:22). “Enchei-vos do Espírito” (Efésios 5:18). “Andai no Espírito… no qual fostes selados para o dia da redenção” (Efésios 4:30). “… o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que Lhe obedecem” (Atos 5:32).

“Provém da fé, para que seja segundo a graça, a fim de que seja firme a promessa para toda a descendência”. Abraão creu nAquele que “vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem.” (Romanos 4:16-17). Isso revela o poder criador de Deus. Deus pode chamar uma coisa que não existe como se existisse. Se um homem dissesse isso, seria uma mentira, mas Deus não pode mentir. É “impossível que Deus minta!” (Hebreus 6:18). Quando Deus fala, aquilo que anteriormente não existia vem à existência nesse seu mundo.