video bokep indonesia indobokep videobokeper videongentot videomesum entotin bokepindonesia videopornoindonesia bokeper bokepsmu filmbokepindonesia filmbokep indobokep bokep indonesia videobokepindo informasiku ngeliker cipoker sukapoker indoagenqq mainjudi mejajudi agenqq
Estudos

O Verdadeiro Dom de Línguas

Joseph Thompson, um jovem estudante de teologia na Universidade de Costa Rica, era vendedor de livros que continham a verdade sobre a Bíblia e com a venda deles sustentava seus estudos. Como ele vivia próximo ao porto de Limon, teve a brilhante ideia de vender seus livros para os marinheiros, e como sabia falar dois idiomas (inglês e espanhol), deu-se bem nesta empreitada.

Certa vez, enquanto este jovem fazia suas vendas, ele conheceu um marinheiro holandês. Fizeram amizade e marcaram para sair pela noite para que o marinheiro conhecesse a cidade. Enquanto estes passeavam, passaram por uma igreja e ouviram barulhos como que de várias pessoas falando e então perceberam que todos estavam falandoem línguas. Nestemomento, o marinheiro (que não era cristão) ficou assustado. Enquanto o pastor daquela igreja orava em línguas, o marinheiro convidava insistentemente o jovem para que saíssem logo daquele local. Ao ser perguntado a este homem o porquê de ele estar tão perturbado, ele respondeu: “Este homem está falandoem holandês. Enem eu que não sou cristão me atrevo a dizer o que ele diz; este pastor está xingando a Deus de todos os nomes mais feios que existem e está maldizendo a Cristo”. Enquanto esta cena triste se passava, dentro da igreja estavam todos glorificando a Deus pensando que se realizava uma grande obra pelo Espírito Santo.

“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora.” I João 4:1

Muita sabedoria é contida nestas palavras do apóstolo João, inspirado pelo Espírito de Deus. Não podemos sair dando glória a Deus para qualquer manifestação religiosa que apareça por aí, pois poderemos ser enganados pelos falsos profetas.

“À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva.” Isaías 8:20

A única maneira de discernir se os espíritos procedem de Deus é analisá-los de acordo com a Palavra de Deus, essa é nossa única segurança. Nestes últimos dias em que estamos vivendo, Deus terá um povo que tenha a Bíblia, e a Bíblia só, como única regra de fé e prática.

Muitos hoje dizem que para que uma pessoa tenha certeza de que recebeu o Espírito Santo, ela precisa falar em línguas, do contrário ainda não o recebeu. No entanto, as Sagradas Escrituras nos dizem que o mesmo Espírito Santo é quem nos convence do pecado e conduz-nos a Cristo (ver João 16:7-12), de maneira que se já aceitamos a Cristo como nosso Salvador pessoal, é única e exclusivamente porque o Espírito Santo já está atuando em nossa vida. E deste mesmo Espírito é dito:

“Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.” João 16:13

Portanto, para que prossigamos neste estudo, gostaríamos de pedir que você, leitor, faça uma pausa agora para uma breve oração pedindo a Deus que, por intermédio do Seu Espírito, possa te guiar ao que é a verdadeem Sua Palavra.

Agora que nós já oramos, podemos prosseguir com nosso estudo da Palavra de Deus, tendo a certeza de que por intermédio de Seu Espírito, Deus estará nos auxiliando. Por meio deste Espírito, Deus derrama aos Seus servos uma variedade de dons:

“Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” I Coríntios 12:4-7

Entre os dons distribuídos por Deus para Sua igreja, por intermédio do Espírito Santo, está também o dom de línguas. Alguns têm considerado este dom como sendo o mais importante de todos, mas o apóstolo Paulo além de afirmar que “quem profetiza é superior ao que fala em outras línguas” (I Cor. 14:5), também coloca os dons em uma lista começando dos superiores até os inferiores:

“A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.” I Coríntios 12:28

Nesta lista de dons apresentada, vemos que o dom de línguas – que embora seja importante na obra de Deus – está classificado como o mais inferior de todos os dons e não como um dom superior. Ao final do seu relato, Paulo nos convida a buscar com zelo não os dons inferiores, mas os superiores (ver I Cor. 12:31).

O que é o dom de línguas?

É um dom sobrenatural do Espírito Santo, em que uma pessoa que não fala um certo idioma consegue falá-lo perfeitamente. Para que possamos entender melhor isto, iremos recorrer ao relato bíblico sobre este determinado evento.

Certo dia, enquanto os discípulos de Cristo estavam reunidos após a Sua ascensão ao céu, a Bíblia nos diz que estes perseveraram em oração buscando pela promessa do Espírito Santo prometido (ver Atos 1:14). Era festa de Pentecostes naquele dia, e havia em Jerusalém pessoas que tinham vindo de todas as partes da Terra para celebrá-la (ver Atos 2:1 e 5). Enquanto oravam e clamavam, o poder do Espírito Santo desceu sobre eles, e começaram a falar outras línguas:

“Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” Atos 2:4

Mas que línguas eram estas que eles falavam? Eram línguas desconhecidas para todos? Vejamos o relato:

“Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua.” Atos 2:6

Notem que o texto acima diz que cada um dos que estavam em Jerusalém, por ocasião da festa, ouvia-os falar “na sua própria língua”. Mas como seria isso? Será que os discípulos estavam falando em outros idiomas? Como homens galileus, que em sua maioria eram sem estudos, poderiam falar em outros idiomas?

“Estavam, pois, atônitos e se admiravam, dizendo: Vede! Não são, porventura, galileus todos esses que aí estão falando? E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?” Atos 2:7-8

Pelo relato bíblico, vemos claramente que os discípulos não estavam falando línguas desconhecidas, mas línguas conhecidas por todos aqueles que haviam vindo de todas as partes do mundo.

Jesus desejava que Seu evangelho fosse levado ao mundo, e comissionou os discípulos a levarem avante esta obra (ver Mateus 28:18-20). Mas como pregariam o evangelho para o mundo se eles não sabiam falar a língua dos outros povos? Foi com esse objetivo que Deus derramou o dom de línguas, com o objetivo de que o evangelho fosse pregado ao mundo, com o objetivo de evangelizar.

A Bíblia relata uma lista de quinze idiomas falados pelos apóstolos naquele dia (ver Atos 2:9-12), e por ocasião desta maravilhosa obra do Espírito, quase três mil pessoas aceitaram a Cristo e batizaram-se.

Existem momentos em que o dom de línguas não é necessário, mas existem momentos em que ele é indispensável. Alguns costumam dizer que o selo de que alguém recebeu o Espírito é quando a pessoa fala em línguas, mas vejam este relato:

Filipe estava fazendo um trabalho de evangelismo na cidade de Samaria. Naquele lugar todos falavam a mesma língua – aramaico. Não era necessário para Filipe usar o dom de línguas, pois ele também falava aramaico. Ao serem batizados os samaritanos que creram, foram enviados de Jerusalém os apóstolos Pedro e João para que orassem por eles e para que recebessem o Espírito Santo:

“Então, lhes impunham as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo.” Atos 8:17

Notem que é dito que receberam o Espírito Santo, mas não é dito que falaramem línguas. Porquê? Simplesmente porque todos naquele lugar falavam a mesma língua e este dom não era necessário ali.

Existiam algumas cidades, no entanto, nas quais era imprescindível que fosse dado o dom de línguas, como era o caso de Éfeso e Corinto. Estas cidades eram muito importantes em sua época, eram fortes portos marítimos donde vinham pessoas de todas as partes da Terra para realizarem os seus negócios. Para os crentes nestas cidades, era necessário o dom de falar em outras línguas para que pudessem evangelizar. De Éfeso, o livro de Atos diz que ao aceitarem a Cristo e serem rebatizados em Seu nome, receberam o Espírito Santo; “e tanto falavam em línguas como profetizavam” (ver Atos 19:1-6).

A igreja de Corinto, por estar situada em uma cidade muito ímpia, era uma igreja cheia de problemas. Todos os problemas que uma igreja possa ter, esta igreja tinha.

Em sua carta aos coríntios, o apóstolo Paulo encheu esta igreja de repreensões: no capítulo três de I Coríntios, o apóstolo os exorta dizendo que eles não eram maduros espiritualmente falando (I Cor. 3:1-4); no capítulo cinco ele fala a respeito de um sério problema de fornicação e adultério ocorrendo na igreja (I Cor. 5:1); no capítulo seis é dito que alguns irmãos estavam levando os outros perante os tribunais do mundo (I Cor. 6:1-4); no capítulo sete ele fala com respeito aos problemas conjugais naquela igreja (I Cor. 7:25-40); no capítulo oito ele diz que os membros desta igreja estavam comendo carnes sacrificadas aos ídolos; no capítulo nove, é dito que estes crentes estavam faltando com seus deveres para com Deus; no capítulo dez é mostrado que estes crentes estavam também envolvidos com o problema da idolatria (I Cor. 10:14); no capítulo onze é dito que estavam cometendo abusos com respeito a ceia do Senhor (I Cor. 11:20-22); e por fim, no capítulo doze o apóstolo Paulo relata sobre os problemas com respeito aos dons espirituais:

“A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.” I Cor. 12:1

Os crentes de Corinto não compreendiam o propósito dos dons espirituais. Estavam causando confusão na igreja de Deus por serem ignorantes quanto aos quais. Já vimos acima que o dom de línguas fora dado por Deus com o objetivo de evangelizar os de outros territórios, mas na igreja de Corinto o propósito havia sido pervertido, ao invés de usarem o dom para o evangelismo (como de fato era o propósito), estavam usando para “se aparecer” na igreja:

“Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios.” I Cor. 14:2

*[NOTA: Algumas versões da Bíblia trazem escrito “língua estranha”, no entanto, a palavra “estranha” não consta nos manuscritos originais das Escrituras.]

Vejam pelo verso acima que os irmãos de Corinto estavam pervertendo o uso do dom. Não estavam usando este dom para pregar, mas para falar com Deus. No entanto, o dom de línguas não fora dado para conversar com Deus, e sim para evangelizar os incrédulos:

“De sorte que as línguas constituem um sinal não para os crentes, mas para os incrédulos…” I Cor. 14:22

O apóstolo Paulo então inicia uma longa lista de exortações aos coríntios por usarem o dom de maneira indevida. Ele diz que se alguém for falar em outra língua na igreja, deve haver intérprete (I Cor. 14:5). Também disse aos coríntios que se eles não falassem palavras que os seus irmãos pudessem entender, eles estariam falando ao ar (v. 9). E no verso dez ele diz:

“Há, sem dúvida, muitos tipos de vozes no mundo; nenhum deles, contudo, sem sentido.” I Cor. 14:10

Muitos hoje alegam falar uma língua desconhecida, que ninguém entende, e denominam esta língua como “língua dos anjos”, no entanto, o apóstolo diz que todas as línguas que de fato vêm por meio do Espírito Santo podem ser entendidas pelos homens. A confirmação de que o dom do Espírito distribuía línguas de outros países vem também através do versículo onze, onde o apóstolo diz que aqueles que falam em línguas são como estrangeiros para os outros.

*[NOTA: Em nenhum momento a Bíblia diz que alguém recebeu o dom de falar a língua dos anjos. O único momento em toda a Bíblia que é dito a respeito disso está em I Coríntios13:1, em que o apóstolo disse: “ainda que eu falasse a língua… dos anjos…”. Em nenhum momento ele disse que sabia tal língua.]

“Dou graças a Deus, porque falo em outras línguas mais do que todos vós. Contudo, prefiro falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outra língua.” I Cor. 14:18-19

No texto acima o apóstolo nos diz que falava mais línguas do que todos os crentes daquela igreja. Mas por que ele falava mais línguas do que todos os outros? Simplesmente porque ele era quem mais precisava deste dom. Como evangelista mundial que era, em cada país que ele chegava era um idioma diferente e como o dom de línguas fora dado para a pregação da Palavra, ele recebeu o dom de falar em diversos idiomas diferentes para que o evangelho fosse levado avante. Deu certo? Sim! Deu certo! Na carta aos Colossenses, o apóstolo diz que o evangelho havia chegado a todas as partes do mundo (ver Col. 1:3-6). Não tivesse sido pela manifestação especial do dom de línguas dado por Deus e isso nunca teria ocorrido.

Quando Deus nos dá um dom, Ele espera que o usemos para o fim que Ele designou. No caso do dom de línguas, o dom deve ser usado não para falar na igreja, mas como vimos em nosso estudo, deve ser usado para levar a palavra da verdade às pessoas das diversas partes do mundo.

“Porque Deus não é Deus de confusão, e sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos.” I Cor. 14:33

Deus nunca amou a confusão nem nunca amará. Ele deseja que Seu povo atenda ao Seu convite e seja fiel ao que está escrito em Sua Palavra. Senão houver tradutor na igreja, “que fique calado” (I Cor. 14:28).

Vejamos abaixo os pontos principais que vimos em nosso estudo:

  1. O dom foi dado para evangelizar. (ver Atos 2)
  2. Eram línguas conhecidas, idiomas de outros territórios (não línguas de anjos). (ver Atos 2:9-12; I Cor. 14:10)
  3. É um dom de Deus. (ver I Cor. 12:28)
  4. Está listado como o dom mais inferior embora seja também importante. (ver I Cor. 12:28)
  5. Sempre que falado na igreja, deve haver tradutor. (ver I Cor. 14:5, 28)
  6. É um sinal para os incrédulos e não para os crentes. (ver I Cor. 14:22)
  7. Só é derramado quando se necessita dele. (Atos 19:1-5; Atos 8:16-17)

Esperamos ter contribuído, amado leitor, para seu estudo da Palavra de Deus. Esteja atento aos sinais dados por Deusem Sua Palavra, e não creia em tudo que se diz ser manifestação do Espírito de Deus, antes, prove pela Bíblia para ver se estas manifestações procedem de fato dEle. Satanás também falsifica os dons e os milagres, por isso temos que ficar atentos.

Que Deus abençoe rica e abundantemente a sua vida, e que seu coração seja preenchido com o Seu amor infinito, que excede todo o entendimento.