video bokep indonesia indobokep videobokeper videongentot videomesum entotin bokepindonesia videopornoindonesia bokeper bokepsmu filmbokepindonesia filmbokep indobokep bokep indonesia videobokepindo informasiku ngeliker cipoker sukapoker indoagenqq mainjudi mejajudi agenqq
Estudos

46. Um Grande Período Profético

Em que tempo, de acordo com a profecia de Daniel, deveria o santuário ser purificado?

“Ele me respondeu: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será purificado”. Daniel 8:14.

Onde estava Daniel quando a visão deste capítulo foi dada?

“E na visão que tive, parecia-me que eu estava na cidadela de Susã, na província de Elão; e conforme a visão, eu estava junto ao rio Ulai”. Daniel 8:2.

O que apareceu primeiramente para o profeta?

“Levantei os olhos, e olhei, e eis que estava em pé diante do rio um carneiro, que tinha dois chifres; e os dois chifres eram altos; mas um era mais alto do que o outro, e o mais alto subiu por último”. Daniel 8:3.

O que apareceu em cena em seguida?

“E, estando eu considerando, eis que um bode vinha do ocidente sobre a face de toda a terra, mas sem tocar no chão; e aquele bode tinha um chifre notável entre os olhos. E dirigiu-se ao carneiro que tinha os dois chifres, ao qual eu tinha visto em pé diante do rio, e correu contra ele no furor da sua força. Vi-o chegar perto do carneiro; e, movido de cólera contra ele, o feriu, e lhe quebrou os dois chifres; não havia força no carneiro para lhe resistir, e o bode o lançou por terra, e o pisou aos pés; também não havia quem pudesse livrar o carneiro do seu poder”. Daniel 8:5-7.

O que ocorreu após o profeta ouvir o tempo anunciado para a purificação do santuário?

“Havendo eu, Daniel, tido a visão, procurei entendê-la, e eis que se me apresentou diante de mim como que uma semelhança de homem”. Daniel 8:15.

Que ordem Daniel ouviu sendo dada a este anjo?

“E ouvi uma voz de homem entre as margens do Ulai, a qual gritou, e disse: Gabriel, faze que este homem entenda a visão”. Daniel 8:16.

Quais foram as primeiras palavras que o anjo proferiu diante do profeta?

“Veio, pois, perto de onde eu estava; e vindo ele, fiquei amedrontado, e caí com o rosto em terra. Mas ele me disse: Entende, filho do homem, pois esta visão se refere ao tempo do fim”. Daniel 8:17.

Como então o anjo procedeu para com Daniel, para cumprir sua missão?

“Aquele carneiro que viste, o qual tinha dois chifres, são estes os reis da Média e da Pérsia. Mas o bode peludo é o rei da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei”. Daniel 8:20,21.

Que parte da visão o anjo disse que deveria ser encerrada, e por quê?

“E a visão da tarde e da manhã, que foi dita, é verdadeira. Tu, porém, cerra a visão, porque se refere a dias mui distantes”. Daniel 8:26.

O que Daniel disse com respeito a visão?

“E eu, Daniel, desmaiei, e estive enfermo alguns dias; então me levantei e tratei dos negócios do rei. E espantei-me acerca da visão, pois não havia quem a entendesse”. Daniel 8:27.

Embora Daniel não tenha dito nada sobre seu assombro ante ao que havia visto, de modo que os cortesãos do rei não o perceberam, o que ele fez?
“No ano primeiro de Dario, filho de Assuero, da linhagem dos medos, o qual foi constituído rei sobre o reino dos caldeus. No ano primeiro do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número de anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, que haviam de durar as desolações de Jerusalém, era de setenta anos”. Daniel 9:1,2.

A vista disto, o que o profeta fez?

“Eu, pois, dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza”. Daniel 9:3.

O que, na oração de Daniel, mostrou que ele estava ainda ansioso quanto à questão do santuário?

“Agora, pois, ó Deus nosso, ouve a oração do teu servo, e as suas súplicas, e sobre o teu santuário assolado faze resplandecer o teu rosto, por amor do Senhor”. Daniel 9:17.

Como o Senhor respondeu à sua petição?

“Sim enquanto estava eu ainda falando na oração, o varão Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente, e tocou-me à hora da oblação da tarde”. Daniel 9:21.

O que Gabriel disse a Daniel?

“No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, pois és muito amado; considera, pois, a palavra e entende a visão”. Daniel 9:23.

Qual aplicação Gabriel fez da visão?

Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo”. Daniel 9:24.

NOTAS. – Setenta semanas são equivalentes a 490 dias. Estas estavam para serem “cortadas” da visão de Daniel, isto é, dos 2300 dias. Os dias desta profecia, assim como os das outras profecias, representam anos. Se, então, os 490 anos foram “cortados” dos 2300 anos, segue-se que os 490 anos iniciam-se ao mesmo tempo que os 2300.

Quando, disse o anjo, que se iniciariam as setenta semanas (490 anos)?

“Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém até o ungido, o príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos”. Daniel 9:25.

NOTA: Sessenta e nove de setenta semanas estavam estendidas “até o Messias, o Príncipe”. “Messias é Cristo”, “o Ungido”. Messias é a palavra hebréia, e Cristo é a palavra Grega, significando ungido. Ver  João 1:41.

Como foi Jesus ungido?

“Concernente a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele”. Atos 10:38.

A que tempo Jesus recebeu a unção especial do Espírito Santo?

“Quando todo o povo fora batizado, tendo sido Jesus também batizado, e estando ele a orar, o céu se abriu; e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se do céu esta voz: Tu és o meu Filho amado; em ti me comprazo”. Lucas 3:21,22.

O que Jesus disse logo pouco tempo após isto?

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos”. Lucas 4:18. (Ver também Marcos 1:15).

NOTA. – É evidente que as sessenta e nove semanas (483 anos) deveriam alcançar o batismo de Cristo, pois aquele era o tempo de Sua unção pelo Espírito Santo. João Batista iniciou sua obra no décimo quinto ano do reinado de Tiberius (Lucas 3:1-3). Tiberius começou a reinar conjuntamente com seu pai no ano 12 d.C., dois anos antes da morte de seu pai (“Prideaux’s Connection,”vol. 1, página 246). O décimo quinto ano de seu reinado seria então 27d.C., o tempo no qual Jesus foi ungido, no Seu batismo.

Quando foi expedido o decreto para restaurar e edificar Jerusalém?

“Este Esdras subiu de Babilônia. E ele era escriba hábil na lei de Moisés, que o SENHOR Deus de Israel tinha dado; e segundo a mão do SENHOR seu Deus, que estava sobre ele, o rei lhe deu tudo quanto lhe pedira.Também subiram a Jerusalém alguns dos filhos de Israel, dos sacerdotes, dos levitas, dos cantores, dos porteiros e dos netinins, no sétimo ano do rei Artaxerxes. No quinto mês Esdras chegou a Jerusalém, no sétimo ano deste rei”. Esdras 7:6:8.

457a.C                457 anos                     26 anos   26d.C.

|——————————————–|——————|

                                  483 anos                                  27d.C.

|—————————————————————–|

Ao final dos 483 anos, em 27 d.C., restava ainda uma semana, ou sete anos, dos 490. O que estava para ocorrer no meio da semana?

“E ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador; e até a destruição determinada, a qual será derramada sobre o assolador”. Daniel 9:27.

NOTA. – Como as sessenta e nove semanas finalizaram-se no outono de 27d.C., a metade da septuagésima semana, ou três anos e meio, finalizaria na primavera de 31 d.C., quando Cristo foi crucificado, e por Sua morte houve o fim dos sacrifícios e ofertas do santuário terrestre. Três anos e meio após (a última parte da septuagésima semana) finalizaria no outono de 34 d.C. Esta primavera nos leva para o final dos 490 anos, os quais foram “cortados” dos 2300. Restavam ainda 1810 anos, os quais, se adicionados a 34d.C, levam-nos a 1844 d.C.

O que, disse o anjo, ocorreria então?

“Ele me respondeu: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será purificado”. Daniel 8:14.

NOTA. – Em outras palavras a obra final de Cristo para o mundo, a expiação, ou o juízo investigativo, iria se iniciar naquele tempo. O dia típico da expiação para Israel ocupava apenas um dia no ano. Esta pode ocupar um espaço correspondente pequeno. Este trabalho já tem estado em andamento por muitos anos, e deve se encerrar logo. Quem está pronto para enfrentar estas decisões?

A PROFECIA DOS 2300 DIAS

AS INCRÍVEIS PROFECIAS DE DANIEL

A Maior Profecia da Bíblia é dada em Daniel 8. Este capítulo está intimamente conectado com Daniel 7 e 9 e deveria ser estudado junto com eles.

DANIEL 7 (escrito em 553-552d.C.) revela a história do mundo desde o tempo de Daniel até o Segundo Advento de Cristo. Na visão, Daniel vê 4 impérios simbolizados como bestas, seguidos por um chifre pequeno (Daniel 7:1-8, 15-21, 23-25). O Juízo Investigativo começa então no céu (Daniel 7:9-10, 13, 22, 26) e depois disto a história finaliza com o Segundo Advento de Cristo (Daniel 7:14, 27-28).

Os animais de Daniel 7 são paralelos com a imagem de metal de Daniel 2. O leão no capítulo 7 é Babilônia (605-538 a.C.). O urso é a Medo-Persia (538-334 a.C.). O leopardo é a Grécia (334-301 a.C.), em cujo tempo se torna dividida em quatro reinos os quais continuam até cerca de 168a.C.). A besta terrível é Roma Pagã (168a.C até o quinto século d.C., quando então é quebrada em dez reinos). O chifre pequeno é Roma Papal, a qual ganhou poder completo por volta de 538d.C., após derrubar três reinos (os Hérulos, Vândalos e Ostrogodos).

DANIEL 8 é composto de duas partes maiores. A primeira é uma profecia de EVENTOS que é estreitamente paralela com a profecia de Daniel 7. Esta profeci é sobr duas bestas e um pequeno chifre que os segue (Daniel 8:1-12, 20-25). A primeira besta, um carneiro, é Medo Persia (538-334a.C.), e o bode o qual a venceu era Grécia (334-168d.C.). O “chifre notável” era Alexandre o Grande, que, antes de sua morte em 323, constituiu o maior império na história até aquele tempo – em apenas dez anos. Quando ele foi quebrado, no vigor da vida, o império dividiu-se em quatro partes. O chifre pequeno é Roma Pagã, a qual, os historiadores nos contam, foi tomada por Roma Papal. Muito de Daniel 7 e 8 (7:8, 19-26 e 8:9-12, 23-25) é dito com respeito a este poder que falaria blasfêmias (7:8, 20; 8:11), e buscaria matar o povo de Deus (7:21, 25; 8:10, 24-25), lançar abaixo a verdade (8:12, 25), derrubar o santuário do céu (8:11), e mesmo tentar mudar a Lei de Deus (7:25). Apocalipse 13 (ler versos 6-7, por exemplo) trata do mesmo poder do chifre pequeno – o Papado.

Mas há uma segunda parte de Daniel 8:  Esta é um profecia de TEMPO (Dan. 8:13-14, 26). A profecia em si é dada em Daniel 8:14. “Até duas mil e trezentas tardes e manhãs, e o santuário será purificado”. Uma leitura cuidadosa deste capítulo revela que enquanto o anjo Gabriel recebeu a ordem de explicar a visão de Daniel 8 para o profeta (8:16), somente a profecia de tempo havia sido explicada (8:17-25), enquanto a profecia de tempo somente havia sido mencionada (8:26). Daniel quase desfaleceu ante o fardo (8:27), e a oração de Daniel 9 veio como resultado disso.

DANIEL 9 inicia com a oração do profeta por guia e auxílio para seu povo (Dan. 9:1-19). Gabriel, aquele que ele tinha visto em sua visão anterior de Daniel 8 (9:21), é então enviado em resposta para sua oração (9:20), com ordem de completar a explanação (9:22-23).

A profecia das SETENTA SEMANAS é então dada (Dan. 9:24-27). Setenta semanas estão “determinadas” (“cortadas” em Hebreu – cortadas do período da profecia maior de 2300 dias [anos]) para os Judeus. Portanto, a primeira parte da profecia dos 2300 dias de Daniel 8:14 é o tempo alocado aos Judeus para concluir sua prova como nação especialmente favorecida por Deus.

Em profecia bíblica, um dia equivale a um ano (num. 14:34; Ezeq. 4:6). O decreto de Artaxerxes, dado no seu sétimo ano como rei – em 457a.C. (Dan. 9:25; Esdras 6:14; 7:6-8), restaurando o governo Judeu, dá início a esta grande profecia de 2300 anos. As primeiras 70 semanas (Dan. 9:24-27) desta profecia, cortadas ou alocadas para os Judeus, equivalem a 490 anos (408 d.C.). Outras 62 semanas levam-nos para a unção de Cristo para Sua missão em 27 d.C.. 483 anjos são então passados; resta somente uma semana das 70. No meio desta semana (Dan. 9:26-27), 31d.C., o Messias é cortado ou crucificado. Uma segunda meia semana de 3 anos e meio leva nos a 34 d.C., quando no apedrejamento de Estêvão o evangelho e levado aos Gentios.

Em 34d.C. as 70 semanas, ou 490 anos, estão completadas. 1810 anos restam para serem cumpridos nesta mais longa das profecias bíblicas de tempo – a profecia de 2300 anos de Daniel 8:14. Ao seu final em 1844d.C., inicia-se a “purificação do santuário” predita nesta importante passagem, Daniel 8:14.

Jesus é nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial (do qual o terreno foi copiado depois). Em 1844 iniciou Sua obra final nele, anterior ao Seu Segundo Advento para a terra para buscar Seu povo.