Estudos

A Palavra Fiel

Fé é esperar que a palavra de Deus realize o que diz, e confiar nessa palavra para realizar o que ela diz. A fé ensina que a palavra tem em si mesma poder para realizar o que ela declara. É a crença na “palavra fiel” (Tito 1:9), a palavra plena de fé, a palavra cheia da fidelidade de Cristo para honrar Sua palavra, que não pode mentir. A palavra de Deus somente realiza o que é nela declarada: “Disse Deus: Haja luz, e houve luz” (Gênesis 1:3). “A revelação das Tuas palavras esclarece” (Salmo 119:130). “E disse Deus: Haja firmamento… E assim se fez.” (Gênesis 1:6 e 7). Ele falou e assim se deu. A palavra falada provocou a vinda à existência de todas as coisas. Foi somente a palavra!

Assim como somente a palavra criou este mundo, foi pela palavra somente que veio a redenção; Ele curava os doentes, lançava fora os demônios, acalmava as tempestades, purificava os leprosos, levantava os mortos, perdoava pecados, tudo por Sua palavra. Em tudo isso, “Ele falou e tudo se fez” (Salmo 33:9). Jesus Cristo é o mesmo ontem (por ocasião da Criação), hoje (quando é nossa redenção) e para sempre; Ele será sempre o Criador. A palavra de Deus é possuída pelo divino poder pelo qual realiza o que é falado. Fé é saber que na palavra de Deus há esse poder; esperar que a própria palavra cumpra o que declarou; e depender dessa mesma palavra para realizar o que diz. Exercer fé é esperar que a palavra de Deus cumpra o que promete. Cultivar fé é a prática de fazer com que a confiança cresça no poder da própria palavra de Deus para cumprir o que é dito nela. “Fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem.” (Hebreus 11:1). Quando Deus fala, a coisa simplesmente é porque Ele a proferiu.

A fé redentora é descrita desta forma: “Tendo vós recebido a palavra que de nós ouvistes, que é de Deus, acolhestes não como palavra de homens, e, sim, como, em verdade é, a palavra de Deus, a qual, com efeito, está operando eficazmente em vós, os que credes.” (I Tessalonicenses 2:13).

Fé é “dom de Deus” (Efésios 2:8); é dado a todos, “segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um” (Romanos 12:3). “A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração: isto é, a palavra de fé que pregamos.” (Romanos 10:8). A palavra de fé está na boca e no coração de cada homem; Deus a criou ao dizer: “Porei inimizade entre ti [Satanás] e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente.” (Gênesis 3:15). Após o pecado ter adentrado não havia mais “inimizade” com Satanás; homem e pecado estavam em perfeita concordância. Mas, quando Deus criou a fé, a “inimizade” foi criada entre o homem e Satanás. Toda alma agora espera pela libertação de Satanás e do pecado. E essa libertação é encontrada somenteem Jesus Cristo(Romanos 7:14-25).

A fé é a dependência somente na palavra de Deus, e esperar que essa palavra cumpra o que diz.

Justificação pela fé, portanto, é justificação por depender somente da palavra de Deus, e esperar que essa palavra somente se cumpra.

Justificação pela fé é o ato de ser declarado justo. A fé deriva da palavra de Deus.

MANTIDOS PELA PALAVRA DE DEUS!

Na vida cristã tudo depende da palavra de Deus. A palavra de Deus nos impede de pecar. “Quanto às ações dos homens, pela palavra dos teus lábios eu me tenho guardado do caminho do violento.” (Salmo 17:4). “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmo 119:11). Esta é a “forma” determinada por Deus para a vitória sobre o pecado. O método divino de fazer as coisas é mediante a Sua palavra: por ela os mundos foram criados; por Sua palavra homens foram recriados, recebendo um novo nascimento. Pela palavra de Deus os mundos são sustidos: “Ora, os céus que agora existem, e a terra, pela mesma palavra têm sido entesourados.” (II Pedro 3:7).

Assim, também, não se dá somente que o cristão é criado pela palavra de Deus, mas por essa mesma palavra ele é sustido, nutrido e obtém crescimento. Deus sustém “todas as coisas” pela Sua poderosa palavra. E os cristãos estão entre essas “todas as coisas” em proporção não menor do que todos os mundos. O cristão é mantido em seu devido rumo pela palavra do Senhor. Está escrito que “Ele vos pode guardar de tropeçar” (Judas 1:24). E “Eu vos susterei com a destra de Minha justiça” (Isaías 41:10). “O Senhor é poderoso para o suster” (Romanos 14:4). Confie na palavra de Deus que sustém todo o universo, que Deus é capaz também de sustentar-nos, livrando-nos do pecado. “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz” (Hebreus 4:12). “Acolhei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas.” (Tiago 1:21). “Habite ricamente em vós a palavra de Cristo.” (Colossenses 3:16). “Sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé” (I Pedro 1:5). Confie nessa palavra, dependa dela e descobrirá o seu poder mantenedor.

DEPENDENDO DA PALAVRA DE DEUS!

Justificação pela fé, portanto, é justificação que vem pela palavra de Deus. “Justificados [tornado justos], pois, mediante a fé [por esperar e depender somente da Palavra de Deus], tenhamos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 5:1). Abrão “creu em Deus e isso lhe foi imputado por justiça” (Gênesis 15:5 e 6). Abraão aceitou a palavra de Deus e esperou para saber o que a palavra dizia. Sara retardou o cumprimento da promessa ao imaginar um método humano para cumprir a palavra de Deus. Mas Deus limitou o resultado à fé somente – limitou o resultado para ser cumprido pela palavra somente, e por absoluta dependência sobre essa palavra somente para o cumprimento do que a palavra dizia. E “por isso também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu, e inumerável como a areia que está na praia do mar” (Hebreus 11:12). “Os da fé são abençoados com o crente Abraão.” (Gálatas 3:9).

De Abraão mais tarde foi requerido que confiasse na palavra de Deus, mesmo que aparentemente indo contra essa palavra ao ser-lhe requerido o sacrifício do filho Isaque em oferta queimada. “Em tua semente serão abençoadas todas as nações da terra”. “Em Isaque será chamada a tua semente.” (Gênesis 22:18 e 21:12). E Abraão ofereceu o seu filho, em esperança contra esperança. Ele não insistiu para que Deus “harmonizasse aquelas passagens”. Bastava-lhe a convicção de que aquelas declarações eram, todas, a palavra de Deus. Sabendo disso, ele confiou naquela palavra e a seguiu, permitindo que o Senhor “harmonizasse as passagens” ou “explicasse aqueles textos”, se qualquer de tais coisas fosse necessária. Abraão creu que Deus traria Isaque de volta da morte. Quando Abraão “viu o lugar de longe… disse a seus servos; esperai aqui, com o jumento; eu e o rapaz iremos até lá e, havendo adorado, voltaremos para junto de vós.” (Gênesis 22:4 e 5). Abraão esperava ter a Isaque de volta com ele tão certamente quanto havia ido com ele. Ele esperava que Isaque despertasse das cinzas e voltasse com ele, porque a palavra de Deus havia sido: “Em Isaque chamarei a tua semente”, e a “tua semente será como as estrelas do céu”. E Abraão confiava somente nessa palavra, cria que ela nunca iria falhar (Hebreus 11:17-19). ISSO É FÉ! Assim “se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça” (Tiago 2:23). “Cremos naquele que ressuscitou dentre os mortos, a Jesus nosso Senhor, o qual foi entregue por causa das nossas transgressões, e ressuscitou por causa da nossa justificação.” (Romanos 4:24 e 25). Crer na palavra de Deus somente, depender da palavra de Deus somente; depender da palavra de Deus, mesmo quando vai contra a palavra de Deus – isto é fé; isto é a fé que opera a justificação de Deus. Isso é o que significa exercer fé. Compreender como exercer fé é a ciência do evangelho.