Estudos

O Pai e o Filho na Bíblia

A Palavra de Deus apresenta duas pessoas divinas: Deus, o Pai e o seu Filho Unigênito, Jesus Cristo que também é chamado pelo profeta Isaías de “Deus Forte, Pai da Eternidade”. Vejamos algumas evidências de que a doutrina da trindade carece de embasamento bíblico quando afirma que o Espírito Santo é a terceira pessoa de uma tríade divina.

O Pai e o Filho nos Evangelhos

“Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai; e ninguém conhece o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.” – Mateus 11:27.

Quando a Palavra de Deus diz “ninguém”, exclui qualquer outra pessoa: seres humanos, anjos ou o próprio inimigo das almas. Para aqueles que acreditam no Espírito Santo como uma pessoa distinta terão uma tarefa adicional em conciliar uma contradição entre o texto acima (Mateus 11:27) e I Coríntios 2:11:

“Porque qual dos homens sabe as coisas do homem senão o seu próprio espírito que nele está? Assim também as coisas de Deus ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus.”  – I Coríntios 2:11.

Ora, se Mateus afirma que ninguém conhece o Pai senão o Filho e Paulo diz que há uma outra pessoa (?), o Espírito, que conhece o Pai, então os trinitarianos têm uma contradição para ser resolvida aqui! Para aqueles que crêem que o Espírito de Deus é o próprio Espírito de Cristo, fica mais fácil entender que só o Filho (seu Espírito) conhece o Pai.

Segue uma possível alteração bíblica em Mateus 11:27 para sustentar a visão trinitariana: “Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e o Espírito Santo; e ninguém conhece o Pai senão o Filho e o Espírito Santo, e aquele a quem o Filho e o Espírito Santo o quiserem revelar.” – versão de Mateus 11:27 adulterada para sustentar a visão trinitariana.

A unidade Pai e Filho é diversas vezes enfatizada de forma clara nos Evangelhos não havendo qualquer menção de uma suposta unidade Trinitária formada por Pai / Filho / Espírito Santo. Seguem mais exemplos:

“Eu e o Pai somos um” – João 10:30.

“A fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti.” – João 17:21. p.p.

Não pode haver evidências mais claras de que a divindade é composta pela união de Pai e Filho. Veja como ficariam possíveis adaptações dos versos acima para sustentar a teoria da trindade: “Eu, o Pai e o Espírito Santo somos um” – João 10:30 versão trinitariana adulterada. “A fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, e o Espírito Santo em mim e eu em ti e no Espírito Santo.” – João 17:21. p.p. versão trinitariana adulterada. Um absurdo!

Vamos repetir um verso que consideramos importante para a salvação, pois trata-se da indicação de como receber a vida eterna:

“E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” – João 17:3.

Para termos a vida eterna devemos conhecer apenas duas pessoas: o Pai e o seu Filho. Conhecendo a ambos, certamente receberemos o Espírito (pneuma) de ambos. Se o Espírito Santo fosse uma terceira pessoa, Jesus oraria assim: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, a Jesus Cristo, a quem enviaste e ao Espírito Santo que será enviado após mim.” – João 17:3 versão trinitariana adulterada.

O Pai e o Filho nas Mensagens de Paulo

Da mesma forma que nos evangelhos, as cartas de Paulo só reconhecem a existência de duas pessoas divinas: Deus, o Pai e Jesus Cristo. Paulo também enfatiza a obra do Espírito Santo, mas não o apresenta como uma pessoa participante da divindade e sim como o pneuma de Deus, atributo intrínseco do seu ser.

“Todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós, também por ele.” – I Coríntios 8:6.

“Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.” – I Timóteo 2:5.

Sabemos que Jesus Cristo é nosso Senhor e faz parte da divindade “porque aprouve a Deus que nele residisse toda a plenitude.” (Colossenses 1:19). Que plenitude? “Nele habita corporalmente toda a plenitude da Divindade.” (Colossenses 2:9). Não é nosso objetivo aqui discutir a divindade de Cristo porque entendemos que já existe um consenso neste sentido por isso passamos adiante demonstrando evidências nos escritos de Paulo de que ele reconhecia uma divindade composta de apenas duas pessoas.

Todas as saudações das cartas de Paulo citam apenas Deus Pai e o seu Filho Jesus Cristo. Nunca citam o Espírito Santo. Em geral, citam também o nome das pessoas para quem a carta foi enviada. Vamos conferir as saudações de todas as epístolas de Paulo:

Romanos: “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus.” – Romanos 1:1.

I Coríntios: “Paulo, chamado pela vontade de Deus, para ser apóstolo de Jesus Cristo… Graça a vós outros e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.” – I Coríntios 1:1 e 3.

II Coríntios: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus… Graça a vós outros e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.” – II Coríntios 1:1 e 3.

Gálatas: “Paulo, apóstolo, não da parte de homens, nem por intermédio de homem algum, mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos.. Graça a vós outros e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.” – Gálatas 1:1 e 3.

Efésios: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, aos santos que vivem em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus: Graça a vós outros e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo.” – Efésios 1:1-3.

Filipenses: “Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus, inclusive bispos e diáconos, que vivem em Filipos: Graça e paz a vós outros da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.” – Filipenses 1:1-2.

Colossenses: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, por vontade de Deus, e o irmão Timóteo: Aos santos e fiéis irmãos em Cristo que se encontram em Colossos: Graça e paz a vós outros da parte de Deus nosso Pai. Damos sempre graças a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, quando oramos por vós.” – Colossenses 1:1-3.

I Tessalonicenses: “Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: Graça e paz a vós outros.” – I Tessalonicenses 1:1.

II Tessalonicenses: “Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses, em Deus nosso Pai e no Senhor Jesus Cristo: Graça e paz a vós outros da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo.” – II Tessalonicenses 1:1-2.

I Timóteo: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pelo mandato de Deus, nosso Salvador, e de Cristo Jesus, nossa esperança, a Timóteo, verdadeiro filho na fé: Graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.” – I Timóteo 1:1-2.

II Timóteo: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pela vontade de Deus, de conformidade com a promessa da vida que está em Cristo Jesus, ao amado filho Timóteo: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus nosso Senhor.” – II Timóteo 1:1-2.

Tito: “Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo… a Tito, verdadeiro filho, segundo a fé comum: Graça e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus nosso Salvador.” – Tito 1:1 e 4.

Filemom: “Paulo, prisioneiro de Cristo Jesus, e o irmão Timóteo, ao amado Filemom… Graça e paz a vós outros da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.” – Filemom 1 e 3.

Por que Paulo, em suas saudações, não se apresenta como servo de Deus Pai, de Jesus e do Espírito Santo? Por que não lemos versos como “graça e paz a vós outros da parte de Deus nosso Pai, do Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo”? Estaria Paulo ignorando a terceira pessoa da trindade em todas as suas saudações?

O Pai e o Filho no Apocalipse

Quem lê e relê o livro da Revelação, o Apocalipse, é um bem-aventurado pois terá uma compreensão ampliada do plano da salvação e da libertação protagonizada pelo Cordeiro de Deus.

O Apocalipse em nenhum momento sugere a existência de uma trindade, pelo contrário, apresenta o Pai e o Filho como protagonistas já desde o início:

“Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer.” – Apocalipse 1:1.

Adoração a Deus e ao Filho

A mensagem do primeiro anjo é enfática sobre quem devemos prestar a adoração:

Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” – Apocalipse 14:7.

Quem são estas duas pessoas a quem devemos temer e adorar? (1) O Deus do juízo – Não há dúvidas de que está-se falando de Deus Pai, o Ancião de Dias, visto por Daniel “executando o juízo a favor dos Santos” (Daniel 7:22) (2) Cristo, o Criador – “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (João 1:3).  É evidente que Cristo tem participação fundamental no juízo assim como o Pai teve participação na criação. O que deve ser destacado neste verso é a menção de apenas duas pessoas sendo dignas de adoração. Você consegue lembrar de algum texto da Bíblia que diga que o Espírito Santo deve ser adorado ou louvado? Veja o que diz o Apocalipse:

“Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos. E os quatro seres viventes respondiam: Amém; também os anciãos prostraram.” – Apocalipse 5:13-14.

Na Fronte dos 144 Mil

O Apocalipse revela o que será escrito nas frontes dos 144 mil. Veja que interessante!

“Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele os cento e quarenta e quatro mil tendo nas frontes escrito o seu nome e o nome de seu Pai.” – Apocalipse 14:1

Haverá apenas dois nomes nas frontes dos 144 mil: (1) O Nome do Cordeiro que é Jesus ou Yeshua (em hebraico) e (2) O nome do seu Pai que é Jeová ou Yahweh (em hebraico). O Apocalipse não diz que um terceiro nome, o nome do Espírito Santo, seria escrito nas frontes dos 144 mil. Por quê? É simples. Os espíritos não têm nome próprio. Por isso eles acabam recebendo o nome do seu possuidor, por exemplo, o espírito de João é chamado simplesmente de espírito do João assim como o Espírito de Deus é chamado de Espírito de Deus ou Espírito Santo de Deus. Em nenhum lugar na Bíblia é revelado o nome do Espírito Santo, pois ele é o próprio pneuma de Deus. Prezado amigo. Qual é o seu nome? Você tem um espírito (pneuma)? Qual é o nome do seu espírito?

Enfim, a dualidade Deus Pai e Deus Filho é abundante no Apocalipse. Citemos mais dois versos bem conhecidos:

“Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, o que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.” – Apocalipse 12:17.

“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” – Apocalipse 14:12.

O Pai e o Filho no Trono

A conclusão do livro de Apocalipse contém promessas maravilhosas para todos os cristãos. O último capítulo da Bíblia começa descrevendo o rio da água da vida nos seguintes termos:

“Então me mostrou o rio da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro.” – Apocalipse 22:1.

O livro do Apocalipse menciona apenas o trono de Deus e do Cordeiro. Onde está o trono do Espírito Santo? O verso 3 do mesmo capítulo repete a informação:

“Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão.” – Apocalipse 22:3.

Não é apenas o Apocalipse, mas toda a Bíblia afirma que há apenas dois assentados no trono: O Pai e seu Filho Jesus Cristo assentado a sua direita. Veja outros versos:

“Desde agora estará sentado o Filho do homem à direita do Todo-poderoso Deus.” – Lucas 22:69.

“Jesus… está assentado à destra do trono de Deus” – Hebreus 12:2 u.p.

Confira outros versos que afirmam que Cristo está á direita de Deus, mas não indicam a posição relativa do Espírito Santo neste trono: Mateus 22:44; 26:64; Marcos 12:36; 14:62; 16:19; Lucas 20:42 e 43; Atos 2:33-35; 7:55 e 56; Romanos 8:34; Efésios 1:20; Colossenses 3:1; Hebreus 1:3 e 13;  8:1; 10:12; I Pedro 3:22; Apocalipse 5:1-7.

* Material do Livro “Eu e o Pai Somos Um” de Ricardo Nicotra. Continua…